IGNOTI NULLA CUPIDO – "Ninguém ama o que não conhece". (Ovídio – poeta romano)

Monthly Archives: Julho 2014

liturgia“A liturgia é o cimo para o qual se dirige a ação da Igreja e, ao mesmo tempo, a fonte donde emana toda a sua força” (Sacrosanctum Concilium, 10)

O Concílio Vaticano II, em seu documento Sacrosanctum Concilium, afirma que “a Liturgia é considerada como o exercício da função sacerdotal de Cristo” (SC 7). Em outras palavras, através da Liturgia Jesus Cristo, nosso Sumo Sacerdote, se faz presente. Ele se apresenta no ministro, nas espécies do pão e do vinho consagrados, na força sacramental, na Sua Palavra e quando a Igreja ora.

É então por meio da Liturgia que a Esposa (Igreja) ora ao seu Esposo (Jesus). É por meio dela que o Cristo cabeça se une ao Seu Corpo Místico para elevar louvores a Deus Pai. Através dela a Assembléia reunida glorifica a Deus e santifica o homem por meio das orações, ritos e símbolos que se fazem presentes durante as celebrações litúrgicas.

Dentro de todo esse contexto, existem duas realidades que devem ser destacadas, mas que infelizmente muitos, inclusive aqueles que se afirmam católicos, ignoram: o domingo e a Eucaristia!

Dentro do ano litúrgico, no qual a Igreja busca celebrar todos os Mistérios da vida de Cristo, distribuindo as festas sagradas pelos dias do ano e pondo o Povo de Deus em contato com as riquezas destes mistérios, o domingo é considerado como sendo seu fundamento e núcleo. Assim como os judeus fazem memória do ato da criação no sábado, dia que Deus “consagrou, porque nesse dia descansou de toda a obra da Criação” (Gn 2,3), os cristãos, desde os primórdios, celebram o domingo, pois nele, o primeiro dia da semana, deu-se a nova criação. Foi no domingo que Jesus ressuscitou dos mortos, vencendo a morte e dando a todos que n’Ele se renovarem, mergulhando em Sua morte, a chance de também participarem da Sua ressurreição. Morre, assim, o homem velho e nasce o homem novo; o novo Adão redime a falta primordial de nosso primeiro pai, garantindo a todos que se unirem a Ele o perdão de todos os seus pecados e a Glória da qual Ele mesmo participa.

Dentro dos Sacramentos, que servem para glorificar a Deus, edificar a Igreja e santificar o homem, encontra-se a Eucaristia, para a qual todos os demais se orientam. É o pão e o vinho que, depois de consagrados, não são mais aquilo que vemos com os olhos da carne, mas é o próprio Cristo que se faz presente em Corpo, Sangue, Alma e Divindade e que só os olhos da fé podem captar. É o próprio autor da Graça, a fonte de onde emanam todos os sacramentos, que se dá nos dons consagrados no altar, dando a maior prova de Sua humildade, pois sendo Deus, se faz menor que os homens para com eles se unir. Todas as orações, toda a piedade cristã, toda a espiritualidade encontra na Eucaristia sua fonte e o seu ápice. É d’Ela que deve brotar e é para Ela que se destina a vida espiritual de cada um de nós.

Como bons católicos, não ignoremos essa grande realidade. Sejamos fiéis à nossa Liturgia, santifiquemos nossos dias através da nossa oração, guardemos os domingos, não só por obrigação, mas por entender a grandiosidade desse dia, e alimentemos o nosso Espírito com o verdadeiro Pão que desceu do céu, pois “quem comer desse pão viverá eternamente” (Jo 6,51b).

nossa_senhora_do_santissimo_sacramentoFiquem com Deus e que Maria os guie pelo caminho que leva a Jesus!



%d bloggers like this: